Alimentação

Por que cultivar bons hábitos alimentares?

Cultivando bons hábitos alimentares
Escrito por Rodrigo Fávaro

Você certamente já deve ter ouvido falar que “você é o que come”. Esse ditado, surgido nos anos 70 e que já ganhou diversas versões diferentes, ainda é válido! E vamos além: cada vez mais, a ciência tem comprovado sua veracidade com estudos que provam a importância de cultivar bons hábitos alimentares.

A máxima surgida com o movimento hippie fala da influência do que comemos sobre a nossa saúde. Mas o que está nas entrelinhas é: o que deixamos de comer também tem um efeito muito importante.

Privilegiar alimentos frescos e naturais, reduzindo a quantidade de produtos industrializados e processados, por exemplo, é uma das chaves da saúde e da longevidade. Quer saber mais? Acompanhe a leitura deste post!

Entenda a relação entre bons hábitos alimentares e qualidade de vida

Já faz décadas que não é mais segredo que a receita para o controle do peso corporal é uma dieta balanceada, associada a atividades físicas regulares. Contudo, uma dieta equilibrada é também um fator fundamental para qualidade de vida de forma geral.

Uma das maiores preocupações de saúde pública deste século são as chamadas Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT). Entre elas, estão doenças cardíacas, acidentes vasculares cerebrais, hipertensão, entre outras. Grande parte tem a alimentação como fator associado.

Assim, quando cultivada por toda a vida, uma alimentação saudável pode ser considerada uma espécie de “caderneta de poupança” para sua saúde, ajudando na prevenção das DCNT. Se você ainda não tem uma dieta equilibrada, não se preocupe: sempre é tempo de começar!

Além disso, estudos já apontam que bons hábitos alimentares conseguem dar mais disposição e até combater doenças — como a depressão e o câncer.

Conheça o caminho da reeducação alimentar

Quando falamos em bons hábitos alimentares, é importante ressaltar que isso não significa viver sob o terrorismo de abominar certos tipos de alimentos e só comer coisas consideradas saudáveis. As dietas altamente restritivas não são o caminho para atingir uma vida saudável, diferentemente do que muitos pensam.

Todos os alimentos têm sua importância em termos de nutrientes e podem fazer parte da nossa dieta — até mesmo pizzas, sanduíches e doces. O segredo está na quantidade e na frequência que esses alimentos aparecem na dieta. Por exemplo: não dá para substituir uma refeição completa de nutrientes por um hambúrguer.

Para quem tem o hábito de consumir grande quantidade de gorduras, carboidratos simples e doces — e poucas vitaminas e sais minerais —, o melhor caminho para bons hábitos alimentares é uma reeducação alimentar.

Estabeleça um relacionamento saudável com a comida

Os bons hábitos alimentares não estão somente relacionados a ingerir alimentos saudáveis. Essa etapa é fundamental, mas também é preciso se preocupar em como anda a sua relação com a comida. Será que toda vez que você come, é porque realmente sente fome?

O estresse e a ansiedade são alguns fatores emocionais que podem levar as pessoas a se alimentarem mal. A pressão sofrida no cotidiano e a incidência desses sentimentos podem ser gatilhos para que a comida seja um refúgio — e essa associação não é nada saudável.

É uma espécie de ação inconsciente: muitos alimentos acabam por ativar a serotonina, que é responsável por proporcionar a sensação de bem-estar. Uma vez que a comida promove esse sentimento e minimiza a tristeza, a irritação, a ansiedade e o estresse, um hábito nada sadio pode estar sendo criado — e que, posteriormente, pode dar origem a um quadro de compulsão alimentar.

Dessa forma, estabelecer um relacionamento saudável com a comida é entender que ela é fonte de nutrientes essenciais ao corpo. Claro que as experiências gastronômicas são ótimas (e muito válidas), mas elas não podem ser um ponto de desafogo de problemas relacionados a questões emocionais.

A fome física é real, mas a psicológica pode mascarar problemas sérios — portanto, fique atento a isso!

Confira dicas práticas para melhorar seus hábitos alimentares

Algumas atitudes simples podem colocá-lo no caminho da alimentação saudável e do bem-estar. Veja algumas dicas, a seguir!

Comprar alimentos frescos

Dê preferência a alimentos naturais. Quanto menos processados, melhor. Faça a maior parte de suas compras na feira, colocando em seu carrinho frutas, legumes, folhas e grãos integrais.

Cozinhar mais em casa

Ainda que coma em um restaurante de comida caseira, você não consegue dizer exatamente quais ingredientes a sua comida levou. Cozinhando em casa, você controla exatamente a quantidade de gordura, sal, temperos e outros ingredientes que vão em cada prato.

Focar na refeição

Comer é um momento único e manter o foco nessa ação traz muitos benefícios. Por isso, evite fazer sua refeição na frente da TV ou do computador. Esteja totalmente concentrado nesse processo, prestando atenção nos sabores e nas texturas, pois isso vai fazer com que o momento seja prazeroso e ofereça saciedade mais facilmente.

Experimentar novos alimentos

Estar aberto a novas experiências alimentares pode ser um passo muito importante para abrir o leque de possibilidades. Quanto mais ampla e diversificada for a alimentação, mais completa e nutritiva ela será — dando a possibilidade de o organismo absorver tudo o que precisa. Por isso, é fundamental estar aberto a provar comidas que antes você nem cogitava!

Incluir alimentos integrais na dieta

Os alimentos integrais possuem uma série de benefícios e estão cada vez mais fáceis de serem encontrados no comércio geral: pães, massas e arroz são alguns deles. Essas opções contribuem para a manutenção de taxas importantes (como o nível de açúcar), além de serem ricos em fibras, que ajudam no bom funcionamento do intestino.

Evitar pular refeições

Manter uma frequência regular de refeições tem um benefício principal: comer em menores quantidades — pois ficar muito tempo sem se alimentar pode fazer com que a fome seja grande demais na hora de comer de novo, o que resulta nos exageros. Assim, se alimentar com mais frequência e em menores quantidades é o ideal!

Tenha frutas sempre por perto

As frutas podem ter um papel muito importante na busca por bons hábitos alimentares. Saborosas, muitas delas podem servir como lanches da tarde e/ou complementarem o café da manhã de forma saudável. Elas também substituem os doces, preenchendo a vontade de ingerir açúcar, o que é muito comum.

Reduzir quantidade de sal, açúcar e farinhas refinadas

Muita gente ainda não parou para pensar nisso, mas o sal é apenas um entre uma infinidade de temperos possíveis para conferir sabor aos pratos. Ervas e especiarias, por exemplo, além de agregarem sabor, ainda trazem benefícios para a saúde.

Também é recomendado dar preferência a alimentos naturalmente doces, como frutas, ao açúcar processado. Em algumas preparações, o mel pode ser usado como alternativa, mas em quantidades moderadas, certo?

Além disso, quando for utilizar farinhas, prefira as integrais, que conservam mais os nutrientes dos alimentos. No processo de refino, acaba sobrando praticamente só o carboidrato, que acrescenta pouco para o organismo.

Como você pôde perceber, mudar a rotina e cultivar bons hábitos alimentares pode ser mais fácil e prazeroso do que parece. No entanto, tão importante quanto ter bons hábitos é saber combiná-los com os exercícios físicos. Assim, é possível mudar completamente de vida!

E aí, o post foi útil? Então, curta agora mesmo nossa página do Facebook e fique por dentro de mais conteúdos relevantes como este!

 
banner cimed whey proteinPowered by Rock Convert

Sobre o autor

Rodrigo Fávaro

Administrador de empresas com pós-graduação em Matemática Financeira e MBA de Gestão do Varejo Farmacêutico (CPDEC).

Cerca de 8 anos atrás, fui diagnosticado com uma doença autoimune, chamada Doença de Chron, a partir deste dia vi o quanto é importante ter nossa saúde em dia.
Isso foi o gatilho para meu maior propósito: Ajudar outras pessoas a cuidarem de sua Saúde e Qualidade de vida.

Deixar comentário.

Share This