Saúde

Hormônio do crescimento: como ele funciona no nosso organismo?

hormônio do crescimento
Escrito por Rodrigo Fávaro

Popularmente conhecido como hormônio do crescimento, o GH é uma substância produzida naturalmente pelo nosso organismo, por uma glândula denominada hipófise. Em crianças, ele serve para causar estímulo no desenvolvimento físico, já em indivíduos adultos — embora seja produzido em menor quantidade —, promove a queima de gordura, aumenta a massa muscular, estimula o sistema imunológico e participa do metabolismo da glicose.

Diante da relevância que o GH tem para a saúde, conhecer algumas peculiaridades desse hormônio é fundamental. Justamente por isso, preparamos este post com os aspectos mais relevantes sobre o assunto. Continue lendo e confira!

Quais são os efeitos do hormônio do crescimento no organismo?

Na infância — após ser produzido pela hipófise —, o GH é lançado diretamente na corrente sanguínea e age estimulando a multiplicação das células, que agirão no crescimento ósseo e nos diversos tecidos do nosso corpo.

A prática de atividades físicas e boas noites de sono são fatores estimulantes da produção do hormônio do crescimento. Quando o mecanismo é realizado dentro da normalidade, as crianças costumam crescer de 5 a 6 centímetros por ano.

Já nos adultos, ele age no tecido adiposo e promove a lipólise, ou seja, a quebra da gordura. Após essa ação, ela a direciona para as células, que as usarão como fonte de energia para a formação dos músculos corporais.

Como a deficiência desse hormônio pode ser tratada?

Nos casos em que há deficiência na produção do GH, um médico endocrinologista poderá orientar sobre qual é a melhor conduta para compensar os níveis baixos desse hormônio.

Normalmente, o tratamento consiste na prescrição de medicamentos administrados por meio de injeção subcutânea na coxa, abdômen, braço ou nádega. Os remédios mais comumente usados para essa finalidade são:

  • Genotropin;

  • Hormotrop;

  • Norditropin;

  • Saizen;

  • Somatrop;

O tempo de uso varia de acordo com as necessidades de cada caso e a indicação do profissional que acompanhará o paciente.

O tratamento tem efeitos colaterais?

Quando realizado em crianças, o tratamento não costuma gerar reações. Entretanto, elas podem sentir dor nas pernas — comumente chamada de “dor do crescimento”, pois está relacionada ao alongamento dos ossos. Os adultos podem observar retenção de líquido e sentir formigamentos ou desconforto muscular e nas articulações.

Vale ressaltar que dosagens mais baixas e uma boa orientação médica minimizam as chances de ocorrência desses efeitos. 

Qual é a importância de manter o GH em bons níveis?

A deficiência de qualquer substância hormonal é prejudicial à saúde. O GH, por exemplo, controla o açúcar no sangue, previne alterações cardíacas, reforça a imunidade, ajuda no combate ao colesterol ruim e proporciona sensação de bem-estar. Dessa forma, sua baixa gera desequilíbrio no organismo e pode dar espaço ao surgimento de doenças.

Enfim, como podemos perceber, o hormônio do crescimento tem várias funções em nosso corpo. Por isso, realizar o monitoramento de suas taxas deve ser um cuidado periódico — principalmente a partir dos 30 anos de idade, quando os níveis começam a cair drasticamente. 

E aí, gostou do post? Então, compartilhe-o em suas redes sociais para que outras pessoas saibam mais sobre o GH e como ele funciona!

 

ômega 3

Sobre o autor

Rodrigo Fávaro

Administrador de empresas com pós-graduação em Matemática Financeira e MBA de Gestão do Varejo Farmacêutico (CPDEC).

Cerca de 8 anos atrás, fui diagnosticado com uma doença autoimune, chamada Doença de Chron, a partir deste dia vi o quanto é importante ter nossa saúde em dia.
Isso foi o gatilho para meu maior propósito: Ajudar outras pessoas a cuidarem de sua Saúde e Qualidade de vida.

Deixar comentário.

Share This