Saúde

Farmacinha em casa: quais remédios não podem faltar?

remédios
Escrito por Rodrigo Fávaro

Qual mãe nunca foi surpreendida por uma febre na madrugada ou um tombo bem no meio do feriado? Então, por isso, ter uma farmacinha em casa é essencial para qualquer família, especialmente aquelas com filhos pequenos.

Contudo, não é preciso montar um arsenal. Alguns remédios básicos, itens de higiene e primeiros socorros são suficientes para os imprevistos do dia a dia. Além disso, tão importante quanto ter a medicação certa à mão, é saber como e onde guardá-la.

Continue lendo e saiba como organizar uma farmacinha completa e segura.

Cuidados fundamentais com os medicamentos

Alguns cuidados com os remédios garantem a sua vida útil e também a segurança dos moradores da casa. Alguns deles são:

Local

Devem ser mantidos em local seco e arejado, longe do alcance de crianças, de preferência em um armário fechado a chave ou em prateleiras altas.

Entretanto, certifique-se de que todos os adultos tenham acesso, inclusive pessoas que trabalham nos cuidados diários da casa e da família.

Em uma eventual urgência, uma medicação rapidamente ministrada pode ser fundamental.

Armazenamento 

O ideal é guardá-los em uma ou mais caixas rígidas e com tampa. Uma boa ideia é usar as de papelão. Assim, caso ocorra algum vazamento, é possível substituí-las. 

Também é muito importante mantê-los dentro das embalagens originais e acompanhados de suas bulas e de seus respectivos dosadores.

Prazos de validade

Verifique sempre as datas de fabricação e validade. Faça uma limpeza regularmente, jogando fora o que estiver vencido. 

Atenção!  É importante lembrar que o descarte de remédios deve ser feito diretamente em farmácias ou drogarias, uma vez que podem contaminar o ambiente.

O que não pode faltar na sua farmacinha em casa

A farmacinha doméstica deve conter remédios para os sintomas mais comuns, tais como:

  • analgésicos (em especial para dores de cabeça);
  • antitérmicos (de preferência mais de um, com princípios ativos diferentes);
  • relaxante muscular;
  • para gases e enjoo;
  • para cólicas;
  • diarreia e prisão de ventre;
  • antiácido;
  • pastilha para garganta;
  • antigripal;
  • antialérgico;
  • pomada para queimaduras e ferimentos; 
  • gel para contusões leves.

Remédios que você não deve guardar

De acordo com as necessidades de cada um, e respeitando os prazos de validade, é possível, também, incluir aqueles de uso contínuo, como hormônios, vitaminas e anticoncepcionais.

No entanto, determinados medicamentos não devem ser estocados indiscriminadamente. São eles:

  • antibióticos;
  • anti-inflamatórios;
  • xaropes com codeína;
  • colírios (devem ser descartados após 15 dias); 
  • descongestionantes nasais em gotas (jogue fora após o tratamento, pois estarão contaminados).

Caixinha de primeiros socorros

Também é importante manter abastecida e organizada uma caixa com itens para tratar ferimentos leves, como estes:

  • álcool;
  • gaze;
  • algodão;
  • esparadrapo;
  • curativo adesivo;
  • antisséptico;
  • iodo; 
  • soro fisiológico (deve ser mantido na geladeira).

Além de outros muito úteis, como:

  • termômetro;
  • bolsa de água quente; 
  • aparelho de nebulização (item indispensável para quem tem filhos pequenos).

 

Farmacinha para bebês

Para quem tem criança em casa, o recomendado é montar uma farmacinha especial para os pequenos, com aqueles medicamentos mais indicados pelo médico da criança para casos, como cólicas, resfriados, assaduras, febre, prisão de ventre, além de alguns produtos de higiene e limpeza.

  • algodão;
  • antigases;
  • antitérmico;
  • aspirador nasal;
  • cotonete;
  • cortador de unhas;
  • lenços umedecidos;
  • pomada para prevenção de assaduras;
  • protetor solar;
  • repelente;
  • soro fisiológico;
  • termômetro.

Farmacinha para diabéticos

Assim como as crianças, outro grupo que deve ter cuidado e atenção redobrada são os diabéticos. Além do cuidado essencial com a alimentação, principalmente no que diz respeito ao controle da glicemia, é muito importante que os diabéticos tenham em casa itens e medicamentos indispensáveis para o controle da sua qualidade de vida. Confira quais são:

  • aparelho de glicemia;
  • balança;
  • insulina;
  • biguanidas;
  • sulfonilureais;
  • meglitinidas;
  • tiazolidinedionas;
  • inibidores de DPP-4;
  • inibidores de SGLT2;
  • inibidores de alfa-glucosidase;
  • sequestrantes de ácidos biliares.

Atenção! Os medicamentos listados são os mais recomendados pelos especialistas para o tratamento de diabetes. No entanto, é indispensável o acompanhamento com um médico que vai recomendar o remédio mais indicado conforme o seu tipo de diabetes.

Remédios que você não deve guardar

De acordo com as necessidades de cada um, e respeitando os prazos de validade, é possível, também, incluir aqueles de uso contínuo, como hormônios, vitaminas e anticoncepcionais.

No entanto, determinados medicamentos não devem ser estocados indiscriminadamente. São eles:

  • antibióticos;
  • anti-inflamatórios;
  • xaropes com codeína;
  • colírios (devem ser descartados após 15 dias); 
  • descongestionantes nasais em gotas (jogue fora após o tratamento, pois estarão contaminados).

Outras dicas importantes

A sua caixinha deve conter apenas remédios que não exijam receita médica, ou seja, aqueles para doenças cotidianas ou para resolver pequenos acidentes. Caso persistam os sintomas, ou se tornem recorrentes, é recomendável procurar um médico!

Com relação às crianças, o cuidado deve ser ainda maior. Conversar com o pediatra sobre as opções para as situações mais comuns, como também tirar dúvidas sobre possíveis reações adversas e interações medicamentosas, é aconselhável.

Quanto aos diabéticos, é imprescindível que os medicamentos que vão compor a farmacinha sejam aqueles recomendados pelo médico especialista. Também é muito importante deixar junto aos remédios uma receita com as recomendações de uso, isso auxilia muito nos casos de emergência. Ao menor sinal de reação alérgica, é necessário suspender o uso da medicação e consultar um médico ou ir a um hospital.

Manter uma farmacinha em casa é muito conveniente e traz conforto para toda a família, até mesmo em emergências, quando algumas medidas devem ser tomadas nos primeiros momentos. Mas não se esqueça de checar periodicamente as validades e condições de cada item para não ficar na mão quando precisar.

Onde comprar os medicamentos?

Para montar uma farmacinha em casa, além de comprar medicamentos de uso habitual e que não necessitam de receita médica, tenha muito cuidado com a farmácia em que vai adquirir todos os suprimentos necessários.

Opte por comprar o que você precisa para montar a sua farmacinha em casa em um local da sua confiança que tenha um ambiente com boas condições de higiene e estrutura, profissionais capacitados, medicamentos de excelente qualidade, entre outros. Afinal de contas com a saúde não se brinca!

Gostou desse post? Então deixe um comentário contando suas experiências sobre o assunto e também o que não pode faltar em sua farmacinha em casa!

banner omega 3Powered by Rock Convert

Sobre o autor

Rodrigo Fávaro

Administrador de empresas com pós-graduação em Matemática Financeira e MBA de Gestão do Varejo Farmacêutico (CPDEC).

Cerca de 8 anos atrás, fui diagnosticado com uma doença autoimune, chamada Doença de Chron, a partir deste dia vi o quanto é importante ter nossa saúde em dia.
Isso foi o gatilho para meu maior propósito: Ajudar outras pessoas a cuidarem de sua Saúde e Qualidade de vida.

Deixar comentário.

Share This